Desfile de moda inclusiva chega a 7 ª edição

Um desfile cheio de charme e amor onde Modelos que são cadeirantes, surdos, pessoas com deficiência visual, com síndrome de Dow e outras deficiências, passam pela passarela e arrancam aplausos da plateia pela performance segura e exemplo de superação. Afinal, eles escolheram exibir seus potenciais como seres humanos, apesar das limitações.

Assim é o “Desfile de moda inclusiva da pessoa com deficiência”, que acontecerá no dia 13 de janeiro, às 18h, com a participação de pelo menos 40 pessoas com deficiência (PCD’s), com idade entre 2 e 50 anos. Os looks serão de pelo menos 8 lojas do shopping. 

A idealizadora o evento é a presidente da Associação dos pais e amigos dos surdos (Apas- Parnaíba), Lindalva Nascimento, que em 2012, inspirada pelo Dia Internacional da Pessoa com Deficiência, 3 de dezembro, resolveu comemorar a data realizando um desfile inclusivo. “Tenho um filho surdo, mas não pensei só nele. E sim em todos os que a associação representa. E esse se tornou um momento especial na vida dessas pessoas e de seus familiares, porque dá visibilidade, socializa, eleva a autoestima e oportuniza à sociedade seletiva que ainda não tem seus olhares voltados à essas pessoas”, comentou.

Lindalva ressalta ainda a importância da parceria com o Parnaíba Shopping, que apesar de ser um local público, oferece mais comodidade, conforto e segurança aos visitantes, atrativos para quem for conferir o desfile. “Nos sentimos muito acolhidos todos os anos. A escolha do local foi assertiva, porque contempla um público variado, gente que vai porque conhece algum participante, mas também quem está apenas passeando ou comprando e acaba parando para prestigiar”, explica.

A cada ano mais PCD’s se encorajam a desfilar e ser fashionista por um dia. A cadeirante Marcela Campelo disse que jamais pensou em desfilar um dia e hoje nem pensa em deixar de participar. “Foi uma das coisas mais importantes de minha vida. Meus pais também acham importante e já ficam esperando a próxima edição. Aliás, tem muitos pais que se emocionam na hora”, relata.

 

Ascom